Domingo, 17 de Outubro de 2021 13:44 84 98733 4107
Cultura Apresentação

Com transmissão online bailarino Potiguar se apresenta na 12º Bienal SESC de Dança

Este ano, o bailarino potiguar Alexandre Américo foi um dos selecionados para a mostra

06/10/2021 08h56
24
Por: Adrovando Claro Fonte: Rosa Moura
foto: Brunno Martins
foto: Brunno Martins

De 2 a 10 de outubro de 2021 está sendo realizada a 12º Bienal SESC de Dança (Campinas/SP). No formato online e gratuito, o evento conta com 22 espetáculos e mais de 300 artistas de 07 países, envolvidos em transmissões de espetáculos ao vivo e gravados, programações formativas e mostras especiais.

Este ano, o bailarino potiguar Alexandre Américo foi um dos selecionados para a mostra.  O espetáculo GOLDFISH será apresentado na Casa da Ribeira às 19 horas, no dia 08 de outubro (sexta) e transmita ao vivo para todo Brasil nas redes sociais da Bienal. A apresentação não contará com plateia presencial, pois toda programação do evento é online.

Com muita empolgação o bailarino nos conta da emoção de ser o primeiro representante em apresentação solo do Rio Grande do Norte na Bienal. “Essa será a primeira vez que um artista independente do nosso estado se apresenta na Bienal SESC de Dança. Fiquei muito feliz, pois a curadoria não só aprovou meu vídeo, como me deu a oportunidade de fazer uma apresentação aqui em Natal, que será transmitida ao vivo. Ser escolhido entre tantos dançarinos brasileiros e internacionais me mostrou que estou no caminho certo dessa conexão com a dança brasileira contemporânea, feita no aqui e agora. Escolhi a Casa da Ribeira para a apresentação, pois lá é um lugar de muita resistência e representatividade entre nós artistas. Movimentar a cadeia produtiva local com essa performance me deixa ainda mais feliz por poder participar dessa Bienal”.

Alexandre conta ainda que o GOLDFISH é uma peça de dança que primeiramente foi transformada em filme e lançada no Youtube. Começou a nascer durante uma Residência Artística em Natal/RN, realizada com o grupo “Artistas Infamables” que, por sua vez, é formado por bailarinos da Argentina, Cuba e Espanha, no ano de 2018. Mas foi apenas em 2020, devido à pandemia de Covid-19 que o filme tomou forma. “É neste momento pandêmico que a obra ganhou seu real sentido, pois parece tocar uma esfera da realidade humana, uma questão fundamental e urgente de ser pensada: a falta de empatia para com o outro e o senso de individualismo. GOLDFISH é uma obra que está em constante mutação e adaptação. Durante a Bienal será apresentada no teatro e transmitida ao vivo pela internet, em um formato inédito de apresentação para o bailarino.

SERVIÇO

GOLDFISH: 08 de outubro | sexta | 21h

ASSISTA EM: youtube.com/sescsp ou instagram: @sescaovivo

DURAÇÃO: 38 minutos

BIENAL SESC DE DANÇA

Realizada entre os dias 2 e 10 de outubro de 2021, tem em sua programação apresentações nacionais transmitidas ao vivo, de forma on-line e a partir do Sesc Campinas – sua atual sede - e outras unidades do Sesc na cidade de São Paulo, além da disponibilização de gravações de espetáculos de diferentes países, mostra de videodança, coleção de filmes, residência artística e ações formativas, enfatizando a vocação socioeducativa da cultura.

ALEXANDRE AMÉRICO

Alexandre Américo é artista, pesquisador e bailarino. Tem Licenciatura e Mestrado em Dança pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Em Natal/RN, atuou nas principais Companhias de Dança da cidade: Parafolclórico, Gaya Dança Contemporânea, Cia de Dança do Teatro Alberto Maranhão, Cruor Arte Contemporânea,Balé da Cidade de Natal e Cia Gira Dança desde o ano de 2013, onde se encontra atualmente e é diretor artístico.

Em 2017 circulou através do Palco Giratório do SESC, com os espetáculos “Cinzas ao Solo” e “Myo_Clonus”, pelos estados de AM, MT, RJ, RS, MG, DF, RO, SP, SC, MS, AL, PB, AC, PI, RN e AP. Também atuou, enquanto Professor Convidado, no Programa de Especialização em Dança 2017 da UFRN e integra o Corpo Docente do Curso de Educação Física da Facel/RN. 

Além disso, desenvolve ações de formação em modelo de Residência Artística. Estas ações, dentre outros lugares, já foram realizadas nas cidades de Maceió/AL (2019), Teresina/PI (2019), Petrolina/PE (2020) e Natal/RN (2020).

Site: alexandreamerico.com

GOLDFISH

Uma imagem de 2016 ocupa o imaginário do dançarino até hoje. O sangue na calçada, o cheiro forte e o “mar de peixes” dissecados o fizeram estancar enquanto caminhava pelas ruas do bairro da Ribeira, na capital potiguar.

“Aquela imagem me pegou”, lembra Alexandre Américo, que se viu pensando sobre a humanidade e outros seres vivos. “Por que eu não senti nenhuma compaixão pelo massacre de peixes?”.

Esse questionamento é uma das escamas do filme misto de live solo, norteado pelo sentimento e postura de solitude, condição de isolamento voluntário e positivo a contrastar com o advento do chamado distanciamento social imposto pela pandemia. 

O artista e pesquisador da dança faz da casa um aquário de captações de arquivo que entrelaçam experiências estéticas em tempos e formatos distintos. Há registros de práticas de 2018, ensaios de 2020 e tomadas subaquáticas deste ano, em que a câmera assume o olhar subjetivo.

Ao público, é proposto um mergulho cênico em que não esteja lúcida a relação espaço-temporal daquele que poderia ser um peixe dourado, possível merecedor de acolhimento.

FICHA TÉCNICA COMPLETA

Dança, direção e roteiro: Alexandre Américo

Música: Oliver Ortiz

Assistência de palco: Ana Vieira

Figurino e luz: Alexandre Américo

Operação de Luz: Anderson Galdino

Câmera laboratório: Gustavo Letruta

Edição e montagem de vídeo: Samuel Oliveira

Arte gráfica: Yan Soares

Fotos divulgação: Brunno Martins

Câmera caseira: Rodrigo Lacaz

Câmera aérea e subaquática: Igor Silva

Operação de câmera ao vivo: Mylena Sousa

Produção: Celso Filho (Listo Produções)

Assessoria de imprensa: Rosa Moura

 

 

Ele1 - Criar site de notícias