Quarta, 08 de Dezembro de 2021 00:22 84 98733 4107
Dólar comercial R$ 5,61 0%
Euro R$ 6,33 0%
Peso Argentino R$ 0,06 +0.041%
Bitcoin R$ 300.180,29 -0.443%
Bovespa 107.536,7 pontos +0.63%
Economia Modelo

Conheça 10 mudanças imprescindíveis para aderir ao modelo de gestão ágil

Nova abordagem para gerenciar projetos e gerir equipes ganha força nas empresas de todos os portes e segmentos; especialista em desenvolvimento humano Susanne Andrade explica conceito e como aplicá-lo na organização

24/11/2021 19h06
26
Por: Adrovando Claro Fonte: Eduardo Marques
foto: Adrovando Claro
foto: Adrovando Claro

O mercado de trabalho atual exige habilidades cada vez mais específicas. Nessa lista, estão a colaboração, a resiliência, a flexibilidade, entre diversas outras. Essa tendência está bastante alinhada à demanda pela adesão do modelo de gestão ágil, que vem sendo cada vez mais disseminado nas corporações de todo o país. 

"A gestão ágil se refere à mudança na forma de desenvolver e entregar um produto ou serviço, com elementos que foram devidamente otimizados dentro de um processo tradicional, visando potencializar os resultados. Com base nas habilidades acima mencionadas, essa metodologia pode ser facilmente adaptada às mudanças inesperadas", explica a especialista em Desenvolvimento Humano Susanne Andrade, autora do best-seller "O Poder da Simplicidade no Mundo Ágil". 

Trata-se de uma abordagem mais leve para gerenciar um projeto, que passa a ser dividido em etapas menores - chamadas de sprints- para que seja mais fácil aplicar mudanças em um mundo cada vez mais dinâmico, com entregas quase imediatas. "É uma proposta bem diferente da forma tradicional de gestão, em que o produto só faz sentido quando é entregue com 100% do projeto concluído, depois de vários meses ou anos de desenvolvimento", avalia Susanne. 

A agilidade também resgata práticas utilizadas nas décadas passadas, com foco na simplicidade, tornando o processo mais assertivo, como por exemplo o Kanban. "Nos anos 1960, a Toyota desenvolveu o sistema Kanban, que consistia no uso de cartões de sinalização para representar o status dos produtos e ajudar a sincronizar o estoque com a produção. Essa ferramenta hoje é utilizada com foco na gestão, para promover maior transparência nos processos e atividades dos profissionais, contribuindo para maior colaboração e protagonismo e incentivando a autogestão", diz a autora. 

Susanne explica que essa simplicidade está ligada ao maior foco no ser humano e nas relações entre pessoas, que passou a ser difundido com mais ênfase a partir de 2001, após um grupo de 17 desenvolvedores de software criar um documento chamado Manifesto Ágil. Eles se reuniram para redefinir o modelo então existente de elaboração de projetos e criaram esse documento sobre a agilidade, que tem como valores: 

- Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas 

- Software em funcionamento (foco em atender as necessidades de pessoas) mais que documentação abrangente. 

- Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos. 

- Responder a mudanças mais que seguir um plano. 

Sendo assim, a gestão ágil é um movimento que começou na área de tecnologia e, em um segundo momento, tomou conta do mundo dos negócios. Diversos levantamentos mostram a ampla adesão das empresas à metodologia. Um deles é o State of Agile Report, no qual 95% dos entrevistados afirmaram que suas organizações aplicam o modelo. Entre os participantes do estudo, as 5 áreas do mercado que mais utilizam o método são tecnologia (27%); serviços financeiros (17%); Prestação de Serviços; Setor público (7%) e Área de Seguros (6%). 

"Apesar de estar cada vez mais presente nas corporações, alguns colaboradores ainda não estão familiarizados com o método e, por isso, precisam se adaptar a essa nova prática", avalia Susanne, acrescentando que, em seu livro, demonstra que "para se adequar à essa realidade é fundamental a mudança de mindset e o desenvolvimento de habilidades não-técnicas (soft skills)". 

Abaixo, ela lista 10 mudanças essenciais para caminhar rumo ao modelo ágil, ou, se já faz parte desse mundo, se fortalecer em direção ao sucesso: 

1. Abandonar a gestão por conflito, que instiga a competitividade destrutiva, movendo-se na direção de uma maior colaboração. 

2. Sair da gestão de comando e controle em direção a uma liderança servidora e humanizada, aprendendo a liderar a equipe por meio de perguntas, reconhecendo e celebrando cada conquista. Isso leva à construção de um time de autogestão. 

3. Deixar de ser uma "máquina" que trabalha de maneira automática, sem entender o sentido do que faz, identificando seu propósito para uma atuação mais consciente. 

4. Tirar a "capa" de super-herói ou super-heroína, aprendendo a demonstrar vulnerabilidade; quando você abre espaço para receber ajuda, evolui como ser humano e profissional. 

5. Entender que o erro faz parte do processo, abrindo espaço para experimentar o novo como uma oportunidade de evolução. 

6. Estar aberto a mudar de direção de maneira rápida, abandonando a rigidez para abraçar a flexibilidade. 

7. Aproveitar as situações de estresse para desenvolver a resiliência e se fortalecer como profissional e ser humano, praticando a flexibilidade citada no item anterior. 

8. Superar a "síndrome do impostor", que te faz se sentir uma fraude, fortalecendo a autoestima e autoconfiança, o que é conquistado com o autoconhecimento. 

9. Deixar a individualidade para aprender a se comunicar e se relacionar com as pessoas, caminho fundamental para a evolução profissional. 

10. Sair da posição de vítima que se queixa e reclama de tudo, deixando de terceirizar a culpa para assumir o protagonismo, se responsabilizando pelas transformações e soluções. Faça acontecer! 

Para a especialista, essas mudanças de comportamento promovem uma verdadeira libertação para o profissional, imprimindo leveza em sua atuação, nas relações e nos processos, e levando a potencializar os resultados. "A agilidade é um novo mindset, uma nova forma de ser, de estar e de fazer, que contribui para o crescimento exponencial nas empresas, uma vez que as organizações são feitas por pessoas, e é por meio da evolução delas que os resultados acontecem. Assim, a agilidade contribui para a construção da felicidade, que é o portal definitivo para o sucesso", finaliza a autora. 

Sobre Susanne Andrade - É autora dos best-sellers "O Poder da Simplicidade no Mundo Ágil", "O Segredo do Sucesso é Ser Humano", e do livro digital "A Magia da Simplicidade". É coach, palestrante e professora de cursos de MBA pela FIAP em disciplinas sobre carreira, coaching, liderança e gestão da mudança para a transformação digital. É sócia-diretora da A&B Consultoria e Desenvolvimento Humano, empresa que criou o "Modelo Ágil Comportamental". Colunista no "Portal IT Forum 365, na coluna Desenvolvimento Humano na Era 4.0". Voluntária no Grathi. 

 

Ele1 - Criar site de notícias