Sábado, 29 de Janeiro de 2022 05:25 84 98733 4107
Cultura Augusto Severo

Governo do RN discute com representantes culturais ações para reavivar memória de Augusto Severo

Reunião foi realizada nesta terça-feira (11), data em que se celebra os 158 anos do nascimento de Augusto Severo

12/01/2022 09h56
24
Por: Adrovando Claro Fonte: ASCOM-RN
foto: Raiane Miranda
foto: Raiane Miranda

O vice-governador do Estado, Antenor Roberto, esteve reunido na tarde desta terça-feira (11) com representantes de entidades culturais, científicas e militares para celebrar a vida e obra de Augusto Severo, expoente norte-rio-grandense, político, jornalista, inventor e aeronauta de relevância nacional. Além de celebrar os 158 anos do seu nascimento, o encontro buscou expor ideias e trabalhos que estão em curso para reavivar a memória de personagem tão importante para a história do Rio Grande do Norte.

Augusto Severo nasceu em Macaíba (RN), no dia 11 de janeiro de 1864, tendo morrido com apenas 38 anos de idade, em Paris, durante a realização do seu invento mais ousado, o Pax, um dirigível – aeronave mais leve que o avião. Não obstante sua curta vida, deixou um vasto legado que foi digno de diversas homenagens, especialmente no estado do Rio Grande do Norte. Porém, atualmente, sua obra está restrita a alguns pesquisadores. Além disso, perdeu algumas homenagens que tinha no RN, como por exemplo a desativação do aeroporto que levava seu nome.

"Foram 38 anos de uma vida intensa. Há dias que valem por anos, mas seus 38 anos representaram séculos de acumulação de conhecimento e de ciência. Ao mesmo tempo que era um sonhador, buscava nos motores ter direção para seus sonhos, porque queria chegar em realizações. Foi uma vida de 38 anos, mas de uma representação secular, por tudo que foi produzido e pelos testemunhos dados aqui hoje", afirmou o vice-governador Antenor Roberto, que estava representando a governadora Fátima Bezerra no encontro.

Gênio de personalidade inquieta, foi um inventor que ousou sonhar alto, idealizando inventos, entre outros, como o dirigível Potyguarania (que não chegou a ser construído), a pipa Albatroz, realizada através da observação de aves planadoras, o aeróstato dirigível Bartholomeu de Gusmão, e o mais conhecido, o dirigível Pax, inflado a hidrogênio. Não se limitou apenas a inventos aeronáuticos, mas também a inventos para a Marinha, como a “máquina a vapor rotativa e reversível”, com a qual os navios poderiam atingir mais velocidade. Por esse motivo é reverenciado nas duas entidades – Marinha e Aeronáutica.

A homenagem chega num momento oportuno, quando o Estado resgata equipamentos culturais extremamente importantes, como a reforma do Forte dos Reis Magos, a restauração do Teatro Alberto Maranhão, a inauguração da Pinacoteca, da Escola de Dança, da Biblioteca Câmara Cascudo, além do Papódromo.

Entre as realizações culturais da gestão de Fátima Bezerra no estado, está o Complexo Cultural da Rampa, no bairro de Santos Reis, com 11 mil metros quadrados, totalmente reformado pelo governo do estado, e que conta com a construção do acervo museológico, que renderá pesquisas, estudos e homenagens a Augusto Severo. O lugar é composto por edificações históricas – o Museu da Rampa e o Memorial do Aviador. O investimento total é de mais de R$ 8 milhões, via Ministério do Turismo, com contrapartida do Estado.

Também contamos com a construção do Parque Tecnológico Augusto Severo, o PAX, um investimento estadual de R$ 8 milhões, via Projeto Governo Cidadão com empréstimo do Banco Mundial. É um parque científico e tecnológico dedicado ao empreendedorismo e inovação, no município de Macaíba. Conta com 70 salas que irão abrigar centros de pesquisa e capacitação, laboratórios multiusuário, incubadoras tecnológicas e observatórios.

Durante a reunião, foram apontados rumos para desdobrar as homenagens em fase de recuperação dessa memória histórica, como uma construção arquitetônica na Assembleia Legislativa, uma homenagem da assembleia; a publicação da biografia “Os balões de Augusto Severo”, do jornalista Rodrigo Visoni; além da reedição dos livros “A outra face de Severo”, de Augusto Severo Neto e de “Augusto Severo: sua vida e seus inventos”, de Mabel Tavares, articulado pela Academia Norte Rio-grandense de Letras; e da edição e publicação de um livro voltado para o público infanto-juvenil, uma biografia ilustrada, chamado “Augusto Severo: o homem que sonhou voar”, através da Editora da UFRN.

Também estiveram presentes na reunião Augusto Maranhão, representando a família do homenageado; Crispiniano Neto, diretor-geral da Fundação José Augusto; Leide Câmara, da Academia Norte-rio-grandense de Letras, a Profa.  Angela Paiva, representando a UFRN; Pedro Brito, representando a OAB; Prof. Helton, representando a editora da UFRN; Augusto Carlos, representando a Assembleia Legislativa do RN; CMG Marcos Vepo e o Capitão Leal, representando o 3º Distrito Naval; Armando Holanda, representando o Instituto Histórico e Geográfico do RN; Comandante Junzo, representando a prefeitura de Parnamirim; Kleber Costa, representando o grupo Sempre Macaíba; Diógenes da Cunha Lima, advogado e representante da Academia Norte-rio-grandense de Letras; Alexis Peixoto, jornalista autor do livro "Augusto Severo: emergido da ciência"; Gustavo Wanderley, curador do Complexo da Rampa; Rodrigo Moura Visoni, escritor e pesquisador; e demais representantes da Casa da Ribeira.

Ele1 - Criar site de notícias