Sábado, 17 de Abril de 2021 23:17 84 98733 4107
Saúde Pandemia

Covid 19: há um ano OMS anunciava oficialmente a pandemia

O avanço rápido da doença fez a Organização Mundial da Saúde declarar a pandemia global, anúncio que acendeu o alerta das autoridades para a urgência das medidas de enfrentamento. No Brasil, o setor de saúde privado saúde foi grande aliado da população

15/03/2021 10h43
22
Por: Adrovando Claro Fonte: Viviane Melém
Covid 19: há um ano OMS anunciava oficialmente a pandemia

Em entrevista coletiva no ano passado, o Diretor geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom, declarou que a OMS havia elevado o estado da contaminação à pandemia global de Covid-19. Provocada pela rápida disseminação geográfica do vírus, a mudança de classificação acendeu o alerta para uma das mais crises de saúde dos tempos atuais. Um ano depois, neste mês de março de 2021, o cenário segue delicado e a realidade ainda mais difícil diante das estatísticas que mostram que a doença continua avançando em muitos países.

No Brasil, onde mais de 268 mil pessoas já perderam a batalha com a doença, o número de casos ultrapassou a marca de 11 milhões. Os dados preocupam setores público e privado de saúde, que desde os primeiros registros se uniram em uma verdadeira força-tarefa contra o Coronavírus. A rede privada, por exemplo, realizou mais de 10 milhões de testes em todo o Brasil, segundo levantamento divulgado pela Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica, a Abramed. Desse montante, 4,5 milhões foram exames RT-PCR e outros 5,7 milhões sorológicos. "Esses números evidenciam a atuação expressiva do conjunto de empresas associadas à Abramed no enfrentamento da crise desde o início do ano passado", pontua Wilson Shcolnik, presidente do Conselho de Administração da entidade.

São indicadores que dão à medicina diagnóstica papel de protagonista nesta jornada contínua de combate ao vírus. Um dos maiores players do setor, o Grupo Sabin foi um dos pioneiros a desenvolver os testes para detecção da Covid 19. Lançado ainda em fevereiro de 2020, o teste no formato RT-PCR do Sabin, juntamente com os sorológicos, foi grande aliado do ecossistema de saúde. Até o início de março, o Grupo Sabin realizou mais de 1.400.000 exames, atendendo a população de Norte a Sul do País.

À frente da equipe de Pesquisa e Desenvolvimento do Grupo Sabin, o médico e Diretor Técnico da empresa, Rafael Jácomo destaca como pandemia dá luz à importância da ciência para a sociedade. "Observar o cenário da pandemia, nos permite destacar um importante legado: a inegável contribuição das pesquisas para os avanços que temos hoje. Neste um ano, vimos o empenho e dedicação de cientistas e pesquisadores para responder de forma rápida, segura e eficaz à Covid 19. Além disso, foram os indicadores levantados a partir dos testes produzidos pelas companhias do setor fizeram diferença na rápida tomada de decisões de médicos e autoridades de saúde".

Para atingir este patamar, a empresa investe continuamente na atualização de seus processos e operações oferecendo testes com capacidade de detecção de todas as variantes de SARS-CoV-2 descritas até o momento. "Mantemos uma rotina de atualização constante das alterações do vírus e desde os primeiros relatos dos casos das variantes e seguimos acompanhando os reports produzidos pelas principais autoridades de saúde globais", enfatiza o médico. O trabalho de monitoramento da descrição de vírus e suas variantes garante a eficiência dos testes oferecidos pela empresa, reafirmando seu compromisso de entregar serviços de saúde com o mais alto padrão de excelência.

Um ano de aprendizados

"Foi um ano de muita dedicação à nossa missão de buscar a evolução constante de nossos estudos, pesquisas e processos, para assegurar ao paciente o melhor diagnóstico e ajudar assim no sucesso da jornada de tratamento", esclareceu Jácomo e reiterou "outro legado da pandemia é nossa capacidade de nos adaptarmos às novas realidades, novas rotinas para introduzirmos novos testes para uma doença, até então, desconhecida. Foi um desafio e um importante avanço para em abril já termos em nosso portfólio os novos testes, os chamados sorológicos. Como conseguimos isso? Com empenho, atenção e observação. Em janeiro de 2020, já estávamos atentos aos reports enviados pela OMS e CDC e a partir dos protocolos disponibilizados colocamos em prática e adotamos à nossa metodologia".

Referência em medicina diagnóstica, o Grupo Sabin também investiu em outras medidas de enfrentamento à doença, que fizeram a diferença em 2020. Implantou um comitê de crise multidisciplinar para análise e implantação das ações de enfrentamento ao COVID-19 na empresa. Além de monitorar as estatísticas globais de casos, o comitê também é responsável pela análise de impactos e riscos, e definição das ações de contingência e adaptação de processos, estruturas internas e externas e, principalmente, gestão de equipes e também pela implantação das ações estratégicas de transformação pós-crise. Para manter a realização de testes em todo o país, de forma ininterrupta, a empresa firmou parcerias superando as adversidades logísticas e assegurando estoque de insumos e reagentes.

Além disso, ampliou sua plataforma e portifólio de testagem, bem como capacidade produtiva. Expandiu também o acesso aos exames por meio dos novos canais de atendimento, que inclui as modalidades coleta em domicílio, coleta empresarial, drive thru e unidades exclusivas para COVID - 19. A empresa também aumentou as opções de serviços em domicílio e atendimento a hospitais em todo Brasil, para garantir mais agilidade e segurança dos clientes que procuram pelos serviços.

Um ano cuidando de dentro para fora

Uma série de medidas preventivas para proteger e conscientizar colaboradores, que estão na linha de frente, foi colocada em prática por meio de campanhas internas, reforçando cuidados de higienização nas as estruturas e unidades. Além da aquisição de novos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Para a manutenção da saúde emocional e mental dos colaboradores, a empresa lançou o "Guia de orientação", para profissionais em home office, fornecendo conteúdos em favor da produtividade e cuidados, e disponibilizou o "O Guia de Isolamento Domiciliar", com orientações sobre como proteger colaborador e familiares, em caso de contaminação. O Sabin também adotou protocolos especiais para acolher e cuidar daqueles que fazem parte do grupo de risco como colaboradores acima de 60 anos, crônicos e gestantes, concedendo férias, acompanhamento médico, acompanhamento virtual, protocolos específicos de retorno e reorganizou suas estruturas físicas e adequou escalas de trabalho, para garantir a redução do fluxo de pessoas em seus espaços.

Para atender a demanda das empresas, o Sabin remodelou o sistema de coleta empresarial para promover a testagem de funcionários, com serviço consultoria e a estruturação de protocolos de triagem, monitoramento e testagem, bem como as recomendações técnicas a partir dos resultados da testagem do grupo populacional. "São iniciativas assim que nos permitiram alcançar os avanços para enfrentamento da pandemia em 2020. Mas ainda estamos enfrentando a pandemia. Temos vacina, mas o vírus ainda está circulando. O momento nos pede resiliência e atenção à rotina de cuidados. Lavar as mãos, usar máscaras de proteção e sair somente quando necessário são prioridades. Precisamos entender que é uma medida de proteção individual, mas também coletiva. E é uma forma de nos proteger e proteger quem está ao nosso lado", finaliza Jácomo.

Para conhecer mais sobre o Grupo Sabin, acesse: https://www.sabin.com.br

Ele1 - Criar site de notícias