Sexta, 07 de Maio de 2021 13:31 84 98733 4107
Cultura Teatro

O Teatro Alberto Maranhão: A Ribeira, a cidade e sua “modernização”..

O templo das artes cênicas, também, compõe o cenário pulsante da região e sua vocação comercial

02/05/2021 10h29
21
Por: Adrovando Claro Fonte: Luciano Capistrano
Foto: Luciano Capistrano
Foto: Luciano Capistrano

No bairro da Ribeira a cada edificação, beco e rua, encontra-se um testemunho a céu aberto da história urbana de Natal. Sua ocupação remonta os primeiros anos de formação da cidade portuguesa, ainda no período de afirmação da colonização ibérica se dá a organização espacial com moradias e empreendimentos da urbe. A Ribeira atravessou a colônia e consolidou se como bairro centro econômico, o porto, a estação ferroviária, a rua do Comércio, as grandes lojas e empresas instaladas a movimentar a parte baixa da cidade… o templo das artes cênicas, também, compõe o cenário pulsante da região e sua vocação comercial,  faz o progresso chegar  com o abrir e fechar das cortinas.

O Teatro inaugurado no dia 24 de março de 1904, uma quinta-feira, casa centenária, tem exercido ao longo de sua existência importante papel na formação de profissionais da área teatral e de plateias. A cidade de Natal que testemunhou o nascimento do Teatro, também presenciou a "modernização"  dos diversos espaços urbanos. Ações de urbanização não isentas a críticas, no jornal Diário do Natal, oposicionista à oligarquia Maranhão, encontram diversos artigos e notas a denunciar a desapropriação das camadas pobres residentes nas novas avenidas abertas no processo de intervenção urbanística em curso na primeira década do século XX.

As obras de “melhoramentos” fincaram seus alicerces nos suores e lágrimas de centenas de trabalhadores, retirantes da seca castigante do interior do Estado. “A chegada dessa mão de obra abundante, aliada aos recursos federais, possibilitou a organização de um plano de trabalho do governo do Estado. O plano tinha como objetivo usar a verba de combate a seca no pagamento aos flagelados que se empregassem nas obras de ‘melhoramento’ da cidade.” (MARINHO, 2011, p.49). Assim surgiu na urbe, a Praça Augusto Severo, o Teatro Alberto Maranhão, o bonde a subir a antiga avenida Junqueira Aires com sua iluminação,a balaustrada,  o relógio, davam o novo tom ao “moderno” como era desejo da elite natalense capitaneada pelos Albuquerque Maranhão. 

(Referência: MARINHO, Márcia. Natal também civiliza-se. NATAL: EDUFRN, 2011; OTHON, Sônia. Vida teatral e educativa da cidade dos Reis Magos - Natal, 1927 a 1913. Natal: EDUFRN, 2006; PIRES, Meira. História do Teatro Alberto Maranhão - 1904 a 05.03.1952. Natal: Fundação José Augusto, 1980).

Projeto: Das ruas às redes: Quinta da História 

(Foto e texto: Professor Luciano Capistrano)

 

Ele1 - Criar site de notícias